24 setembro 2015

{Resenha} O Teorema Katherine - John Green






Sinopse:"Após seu mais recente e traumático pé na bunda - o décimo nono de sua ainda jovem vida, todos perpetrados por namoradas de nome Katherine - Colin Singleton resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-criança prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão: elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam."






Tradutor: Renata Pettengill
Ano: 2013
Páginas: 304
Editora: Intrínseca




Colin é um garoto prodígio que está terminando o Ensino Médio.  P R O D Í G I O, não gênio. Gênio é aquele que cria alguma coisa ou inova, ele apenas aprende as coisas um pouco rápido demais. Isso o preocupa, o fato de poder nunca fazer algo realmente importante com a sua vida e com esse seu talento. Porém, não era de se esperar que ele já tivesse tido 19 ex namoradas, e todas elas se chamasse Katherine. Não Katarine, Caterine, Kate ou Ketherina. K A T H E R I N E. Escrito da mesma maneira e todas elas terminam com ele. 

Mas nem todas foram um namoro de verdade, até um pequeno beijo ou um namoro de criança é contado. Seu relacionamento mais perto da seriedade foi com a Katherine XIX que é, também, a mais recente. Com o coração partido por seu último amor ele pede ajuda ao seu único amigo. Hassan decidi que ao invés de trabalhar ou festejar nas férias eles vão sair em uma viagem exploratória através do "mundo". Para Colin é só colocar algumas malas no Rabecão do Satã e sair com destino a lugar nenhum. Mas mesmo assim os dois saem de viagem logo após o fim das aulas. Só não esperavam acabar em uma casa toda cor de rosa com Lindsey, uma garota com o sotaque caipira. É lá também que Colin deixa de se tornar um prodígio e vira um gênio criando o seu mais louco Teorema. 

"Eu serei esquecido, mas as histórias ficarão. Então, nós todos somos importantes – talvez menos do que muito, mas sempre mais do que nada.”

Para os fãs de Green ou até mesmo os que gostam de suas obras eu preciso dizer que não acho que o livro tenha atingido o mesmo nível de ACEDE, Cidade de Papel ou Quem é você Alaska? Sinceramente, não me impressionou. Não que o livro seja horrível, mas não nos deixa com vontade de lê-lo ou saber a continuação. A história é muito vaga, no meio do livro você já pode imaginar como vai ser todo o desenrolar e até mesmo o final. 

A única parte boa é as risadas. O livro é hilário, os personagens são muito bem construídos. A capa é muito linda e traz os elementos principais que tem no livro, principalmente a matemática que se baseia todo o estudo de Colin. Algumas vezes eu me forcei a ler e em outras eu já conseguia me agradar levemente. Mas não está, nem de perto, da lista de meus favoritos.

Um comentário:

  1. Ola, li esse livro ou melhor quase que consegui terminar de ler, não consegui prender minha atenção na história, ai fui deixando de lado, e acabando não li todo. beijos!

    ResponderExcluir